A Jornada da Materialidade

Autor: Gelvani Santos – Goiânia

A construção de um processo de materialidade representa um pilar essencial para organizações em busca de transparência e alinhamento estratégico com seus stakeholders. Materialidade, nesse contexto, refere-se à identificação e priorização de temas que têm impacto significativo nos negócios e são relevantes para os stakeholders.

A importância dessa prática reside na capacidade de direcionar as estratégias da empresa, concentrando esforços nas áreas que mais influenciam o desempenho organizacional e atendem às expectativas e preocupações das partes interessadas.

No ínicio da  jornada está a formação de uma equipe multidisciplinar, composta por representantes de diversas áreas, como finanças, sustentabilidade, compliance e marketing. A diversidade de perspectivas nesse grupo proporciona uma visão abrangente, enriquecendo o processo de materialidade. Vale ressaltar que a inclusão de diferentes pontos de vista não apenas aprimora a qualidade das decisões, mas também tem um impacto positivo nos resultados finais, promovendo inovação e abordagens mais holísticas.

O reconhecimento e a inclusão dos stakeholders, como acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores e comunidades locais, são elementos fundamentais no processo. A interação efetiva com esses grupos, por meio de entrevistas, pesquisas ou workshops, desempenha um papel crucial na coleta de insights sobre os temas considerados mais relevantes por eles. Essa abordagem não apenas fortalece o relacionamento com os stakeholders, mas também proporciona uma compreensão mais profunda das dinâmicas que moldam a reputação e a percepção da empresa, impactando em sua Licença Social para Operar(LSO).

A obtenção de dados internos, como relatórios anteriores, auditorias internas e informações de desempenho em ESG, fornece uma base sólida para a identificação de temas materiais. Esses temas, refletindo os impactos reais e potenciais da empresa, destacam áreas críticas que merecem atenção especial. A priorização subsequente dos tópicos materiais, considerando o impacto nos stakeholders e nos objetivos de negócio, é uma fase crucial para direcionar esforços e recursos de maneira eficiente.

A validação interna, por meio da revisão e aprovação das lideranças da empresa, confere legitimidade ao processo, assegurando que a abordagem adotada esteja alinhada com os objetivos organizacionais. A integração dos tópicos materiais ao planejamento estratégico representa um passo essencial para garantir que esses elementos sejam monitorados e relatados de maneira coesa, reforçando o compromisso da empresa com a responsabilidade corporativa.

Na elaboração do relatório integrado, os temas materiais são incorporados, evidenciando sua conexão com a estratégia da empresa, os impactos associados e os planos de gestão para cada tópico. Esse documento final não apenas comunica transparência, mas também reforça o compromisso da empresa com a sustentabilidade e responsabilidade.

Após a publicação, a coleta de feedback dos stakeholders e a revisão interna representam uma etapa contínua de aprimoramento. Esse ciclo de retroalimentação contribui para refinar o processo, garantindo que a organização esteja sempre evoluindo em sua abordagem de materialidade.

O estabelecimento de um processo de monitoramento contínuo encerra a jornada, assegurando que os tópicos materiais sejam dinamicamente atualizados conforme necessário. Essa prática reiterativa demonstra o comprometimento da empresa com a responsabilidade corporativa ao longo do tempo.

Novembro 2023

Texto de responsabilidade do autor Permitida a reprodução total ou parcial, desde que citada a fonte o Autor.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Envie uma mensagem
Precisa de ajuda?
Olá 👋
Como podemos ajudar?